sábado, 13 de agosto de 2011

Nasa descobre planeta negro

O Universo (ou Multiverso, dependendo do que você acredita) é repleto de mistérios e coisas bizarras. A última descoberta é difícil de ver, e ainda mais difícil de acreditar.
TrES-2b (ou Kepler-1b) é um planeta extrasolar que orbita a estrela GSC 03549-02811 localizada a 750 anos luz de distância. O Planeta foi identificado como o exoplaneta mais escuro já descoberto, refletindo menos de 1% da luz solar.
A aproximadamente 750 anos-luz da Terra, está um planeta do tamanho de Júpiter, TrES-2b. Normalmente, os gigantes gasosos (como Júpiter) são muito brilhantes. Mas TrES é completamente negro, refletindo apenas 1% da luz que o alcança — o que o torna, basicamente, uma gigante esfera negra, mais escuro do que qualquer substância encontrada na Terra.

Diferença de tamanho entre TrES-2b e Júpiter

“O conceito-chave aqui é albedo, também conehcido como o coeficiente de reflexão, que descreve a percentagem da luz que, ao cair numa certa superfície, é refletida de volta. A Terra, por exemplo, possui um albedo de entre 30 e 35%, dependendo da cobertura das nuvens. É o motivo para os astronautas da Apollo conseguirem ver a Terra da Lua — se nosso albedo fosse 0%, nosso planeta seria essencialmente invisível. E se nosso albedo estivesse próximo a 100% — graças à termodinâmica, nenhum albedo pode ser um perfeito 100% — nós seríamos o Sol.”


“A maioria dos planetas de nosso sistema solar possui um albedo entre 25 e 50%. Júpiter, por exemplo, reflete mais ou menos um terço da luz solar que chega até ele, graças à presença massiva de nuvens de amônia. Essas nuvens são o maior motivo por trás do alto albedo do gigante gasoso.”


“Este não é o caso do TrES-2b, que está localizado a apenas três milhões de milhas (mais de 4,8 milhões de quilômetros) de sua estrela. Isso aquece o planeta a quase 2 mil graus Fahrenheit (1093 graus Celsius), que acaba com suas nuvens. Em vez disso, a atmosfera do planeta é composta praticamente apenas de químicos que absorvem luz, incluindo uma mistura de sódio, potássio e óxido de titânio vaporizados. Ainda assim, os astrônomos não sabem explicar completamente a escuridão do planeta.”


“O astrônomo David Spiegel, de Princeton, descreve o planeta:”


““Não está clara a causa de tornar este planeta tão extraordinariamente escuro. No entanto, não é um breu completo. É tão quente que emite um fraco brilho vermelho.””


“A espaçonave da NASA Kepler conseguiu detectar pequenas variações na quantidade de luz refletindo do TrES-2b. O planeta está travado em torno de sua estrela, o que significa que ele age nela da mesma forma que a Lua movimenta em volta da Terra. Isso também representa que o planeta possui fases distintas, que criam aquelas minúsculas diferenças na quantidade de luz refletida da superfície — apenas seis partes por milhão, que foi de longe a mudança de luz mais sutil que a Kepler conseguiu detectar.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou da minha Nerdice? Revolte-se aqui!